“100 palavras essenciais para a sua gravidez”

Viajamos por uma centena de termos que sintetizam tudo o que os pais devem saber sobre a gravidez, o parto e o pós-parto. Doula, toxoplasmose, dormir junto, respiração, baby blues, gêmeos, mastite, parteira, exercício, reprodução assistida, puerpério, peito ou biberão, parto natural, ultra-sonografia, mães, suegras e avós… Quem disse medo?

Outras notícias

EFE/ National Geographic Channel

Artigos relacionados

Quinta-feira 31.07.2014

Segunda-feira 21.07.2014

Quinta-feira 24.04.2014

Três partes dividem o livro “100 palavras essenciais para a sua gravidez” (edições Lectio), escrito pelo pediatra com vasta experiência José Luis Serrano e o corretivo e coordenador de projetos editoriais Pere Debulha. Gravidez, parto e pós-parto como um “manual de divulgação” para ler de forma rápida e a lidar de forma consciente a gestação, o nascimento e os primeiros dias do bebê, como explica a EFEsalud o doutor Serrano.

Naturalidade, confiança e conhecimento

Há, porventura, algo mais natural do que a vida e o seu começo? Nascer, quando se é bebê, o parto, quando se é mãe, é um processo natural que, como todos sabemos, sempre houve de forma inerente à espécie humana (e não é). No entanto, o medo, o desconhecimento e alguns mitos infundados fazem com que, às vezes, não se desfrutar com total tranquilidade e conhecimento.

As mães perguntam “sobre a dieta, o medo de tomar carnes pouco cozidos, se podem tomar sushi”, sobre as mudanças de humor ou sobre a amamentação, outra dúvida recorrente.

O doutor explica que é muito importante que a mãe tenha confiança em si mesma, isto é, que se empodere e “confie em sua capacidade de ser mãe e o bebê também tem instintos”, algo que às vezes esquecemos.

O parto é um dos momentos mais medo. “Talvez seja o momento mais alto e esse medo é o que pode fazer com que, salvo algumas vezes em que realmente as coisas vêm complicadas, impossibilita os pais viver uma experiência inesquecível”.

Por isso, precisamente, o especialista salienta que a formação é importante, razão de ser deste livro que, sem dúvida, ajuda a que os pais estão “confiantes que tudo vai ir bem, mas com a idéia de que uma cesariana ou fórceps” para que tudo seja mais fluido, se necessário recorrer a isso.

Mães, avós e suegras

Ao longo das 100 palavras, os autores lembram que os pais que são eles os que devem colocar limites para os avós, pois, tal e como se explica no livro, podem trazer tanto benefícios como desconforto em função de qual seja a sua atitude.

“Não tomar muito o bebê porque ele vai acostumar” ou “se você acaba de dar o peito há duas horas!” são, como diz o doutor, o “abc” de situações como essas, e algo que tem vivido ao longo de sua carreira. Os métodos e a filosofia que adotam os pais para educar seus bebês pode ser interferido por os conselhos das avós levaram a cabo há 30 anos.

Em relação avó e mãe, “o que se vê é a maturidade da mãe e da avó”, explica o especialista, pois “se a mãe tem independentes emocionalmente com a avó e a avó tenha soltado o cordão umbilical” ser capaz “de respeitá-la e que sejam os pais os que decidam”.

Neste sentido, o especialista fala por exemplo do “método mãe canguru”, ou seja, o contato do bebê pele a pele com sua mãe, “muito benéfico a nível físico, porque as constantes do bebê e melhoram a nível emocional porque facilita um bom apego”.

Outro erro relacionado com o âmbito familiar são, para Serrano, “as visitas de compromisso ou inoportunas, quando a mãe acabou de dar à luz ao bebê”, pois “são momentos para desfrutar”, em que a família não deve interromper e interferir no casal com visitas ao hospital que “devem ser as menos possíveis, pois já haverá tempo para desfrutar com os pais fora”.

Baby blues (ou tristeza anterior saindo em primeiro lugar)

Apesar de que são momentos ligados à felicidade, a alegria e a emotividade, muitas mães sentem tristeza depois de dar à luz. É chamado de baby blues ou tristeza anterior saindo em primeiro lugar e é algo normal”, que há que transitar comunicando-se com pessoas que saibam ouvir”, explica o médico.

É quando o sentimento se alonga e se transforma em doença (depressão pós-parto), quando é necessário e importante recorrer ao especialista, pois nesse caso ele pode “prejudicar o bebê”.

“100 palavras essenciais para a sua gravidez”, dedicado às mães, mas também para os pais, pois como diz o doutor José Luis Serrano “é lindo ver como, em muitos hospitais cada vez se dá mais destaque ao pai”. E é que, quem disse medo?

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply