2.500 casos de câncer de colo de útero são registrados a cada ano

Comemoração do Dia Mundial do Câncer de Colo de Útero, do que a cada ano estima-se que em Portugal 2.500 novos casos. Esta doença é provocada pelo Vírus do Papiloma Humano (HPV) e é a segunda causa de câncer em mulheres no mundo.

2.500 casos de câncer de colo de útero são registrados a cada ano em PortugalExposição “A mulher gigante”/EFE/Jesus Dominguez

Artigos relacionados

Crianças superdotadas, e de uma infância diferente

Segunda-feira 10.09.2018

Não há um consumo mínimo de álcool é seguro durante a gravidez para o feto

Segunda-feira 10.09.2018

CBP: a doença hepática com

Sexta-feira 07.09.2018

O V Fórum sobre o Vírus do Papiloma Humano (HPV), organizado em Barcelona recentemente pela Sanofi Pasteur MSD, reuniu mais de 200 especialistas para compartilhar algumas conclusões sobre oncologia, ginecologia, pediatria e doenças infecciosas.

18 milhões de mulheres maiores de idade e sexualmente ativas são as que residem em Portugal e, portanto, com risco potencial de contrair uma doença de transmissão sexual. A maioria das infecções do Vírus do Papiloma Humano são transmitidos por contato genital e estima-se que cerca de 80% da população sexualmente ativa é infectará com o HPV em algum momento de sua vida, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) e do Instituto Catalão de Oncologia (ICO).

A partir de estudos específicos, calcula-se que cerca de dois milhões de espanhóis maiores de 18 anos de idade apresentam uma infecção por HPV detectável, o que é compatível com uma citologia normal.

Os programas de rastreio são diagnosticados em torno de 100.000 mulheres anualmente com uma citologia anormal, as quais são 40.000 as que vão exigir acompanhamento médico e, de vez em quando, uma intervenção cirúrgica no colo do útero.

Vacinação precoce: prevenção eficaz

Os especialistas são atualizados a formação em matéria de prevenção, diagnóstico e tratamento contra este vírus. A vacinação contra o HPV, se posiciona como a estratégia preventiva mais eficaz para reduzir a incidência desta doença e de uma parte importante de outro tipo de cancros associados ao vírus, como os da vagina, vulva, faringe, ânus e pênis.

Além disso, com a vacina cuadrivalente, que inclui os tipos virais HPV 6 e 11, também se protege contra as verrugas genitais em ambos os sexos.

A infecção pelo HPV é a infeção de transmissão sexual que afeta um maior número de pessoas. A exposição ao vírus começa com a primeira relação sexual, pelo que se considera prioritária a vacinação precoce. No entanto, as mulheres sexualmente ativas também podem se beneficiar da vacina porque não têm que ter entrado em contato com o vírus.

Eles também se vacunan

Apesar de que as coberturas de vacinação contra o vírus são boas em nosso país, os especialistas reforçam a importância de vacinar também a população masculina para controlar a propagação do VÍRUS do papiloma humano e o índice de contágio.

“Esperamos que, em um futuro não muito distante, a vacinação deixe de ser uma opção específica de sexo e que se ofereça a todas as gerações de meninos e meninas”, garante o doutor Bosch.

Um futuro que promete

As duas vacinas atuais oferecem proteção contra os dois tipos oncogénicos mais frequentes (HPV 16 e 18), que são os responsáveis, entre 70 e 75% dos cânceres de colo do útero. A cuadrivalente protege além dos tipos 6 e 11, que respondem as verrugas genitais.

O futuro da prevenção? Se mostra esperançoso, já que atualmente está nas últimas fases da pesquisa de uma vacina nonavalente que inclui os nove tipos do vírus implicados no câncer cervical. Além disso, estima-se que vai proteger cerca de 90% dos cancros do colo do útero e, talvez, a uma taxa de 95% das lesões precancerous de colo de útero, vagina e vulva.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply