20 segundos são suficientes para saber o risco de infarto

Portugal conta com uma nova tecnologia de diagnóstico coronariana, que só tem na Europa, Holanda e Áustria, e que permite descartar em apenas vinte segundos a possibilidade de ataques cardíacos, por um período de até cinco anos.

20 segundos são suficientes para saber o risco de infartoUm médico explica em um computador, algumas das pesquisas que se realizam no Centro Nacional de Pesquisas Cardiovasculares em Madrid. EFE/J.C. HIDALGO

Artigos relacionados

O Congresso dá luz verde à saúde universal

Sexta-feira 07.09.2018

Uma investigação abre a porta para regenerar órgãos sem necessidade de transplantes

Quinta-feira 06.09.2018

Mieloma Múltiplo: iniciativas contra essa doença no seu Dia-Mundial

Quarta-feira 05.09.2018

A prova realiza um perfeito mapa do coração e do sistema vascular, que o alimenta, as coronárias, em um formato de imagem real em 4D, explicou à Efe a doutora Henriqueta Alomar, diretora de um dos Centros Médicos Creu Branca, que desenvolveram esta verificação usando o Aquilion One, o TAC (Tomografia Axial Computorizada) “mais poderoso do mundo”.

O aparelho, em si mesmo, se começou a usar em 2011 para diagnóstico do câncer e este ano foi implementado para o exame em profundidade de coronárias, aumentando em muito a sua potência.

“Com este TAC, que tem 320 pontos de imagem para cada corte, podemos chegar a um grau de precisão inimaginável há apenas alguns anos, já que os 20 segundos que se realiza a varredura da área vamos conseguir 384.000 imagens que nos reconstruído ao milímetro o coração, assim como todas as suas artérias e veias podendo observar qualquer deficiência ou anomalia”, explicou Alomar.

O médico recordou que el verificação coronariano é aconselhável a partir dos 40 anos, com frequência anual, se forem encontrados problemas como placas aderidas arterial coronariana ou arritmias, e, pelo menos, a cada três anos, se não houver complicações.

O teste completo, ou seja verificação coronariano com electro, ultrassonografia, teste de esforço e TAC Aquilion One, assim como a determinação de diagnóstico, custa 500 euros no sector da saúde privada, se bem que existem acordos com os fundos e com a maioria de hospitais públicos para pacientes com graves problemas cardíacos.

Os últimos estudos alumbrados da UE, revela que em Portugal têm aumentado em 15 % dos infartos do miocárdio, bem como as doenças cardíacas com respeito ao resto de países.

Do mesmo modo, estima-se em 23 % o aumento deste tipo de falhas e problemas cardíacos entre os que foram objecto de fortes tensões nos locais de trabalho durante o último quinquênio.

Fundação Espanhola do Coração (FEC),

De acordo com a Fundação Espanhola do Coração (FEC), quase 50% dos pacientes podem se tornar imprevisíveis por causa do fator de “stress”, um perigoso inimigo que afeta todo o corpo, desde o cérebro até o sistema endócrino, e o cardiovascular.

Diante disso, a própria fundação recordou a importância da prevenção como máximo fiador para manter um risco baixo e controlado das paragens cardíacas.

A especialista indicou que o aumento do estresse é um fator de risco silencioso que provoca condutas compulsivas, como aumento da ingestão de álcool, tabaco e medicamentos orientados a mitigar ataques de ansiedade e quadros clínicos associados, que envolvem inúmeros efeitos colaterais.

Do mesmo modo, se referiu a práticas alimentares desordenados e “uma longa lista”, que aumentam um quadro de degradação progressiva da saúde em geral e, muito particularmente, os fatores de risco associados ao infarto do miocárdio.

Esta situação provocou 136.000 pessoas fallecieran em 2011 por causa de doenças diretamente relacionadas com o músculo cardíaco.

“Pacientes que não avisam, frequente de peito que se complicam, arritmia ventricular são situações que podem provocar a morte inesperada da pessoa”, comentou Alomar.

Francisco Soriano dirige uma empresa de informática, em Barcelona, e nos últimos seis meses teve que prescindir de dois trabalhadores por causa da recessão. Em seus 48 anos, foi visto como colegas e companheiros sofreram acidentes vasculares cerebrais e acidentes cérebro-vasculares, o que o levou a realizar um check-up.

“Ter que prescindir de trabalhadores, porque não há tanto trabalho é algo que gera uma preocupação acrescida à própria exigência diária em uma pequena empresa como a minha, além disso tenho visto como companheiros, com menos anos do que eu, sofreram um infarto, sofrendo então sequelas”, confessou

Por isso, tornou-se um check-up coronariano há dois anos e agora se repete, mas desta vez o teste inclui uma varredura de seu músculo cardíaco com o uso desta tecnologia inovadora, que lhe permite estar tranquilo para os próximos cinco anos.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply