A cada desconforto do aparelho digestivo, o alimento adequado

A cada desconforto do aparelho digestivo, o alimento adequadoEFE/Infográfico criado por Miriam Monteiro

Artigos relacionados

Rotinas diárias que complementam a alimentação

Sexta-feira 16.10.2015

Dez sintomas mais sobre nenhuma doença

Quinta-feira 09.04.2015

Endoscopia bariátrica, um empurrão contra a obesidade

Segunda-feira 01.09.2014

O influencia a flora intestinal da conduta e das emoções?

Quinta-feira 21.08.2014

Todos sofremos de vez em quando, problemas no aparelho digestivo. Embora sejam tratados com medicamentos, como os protetores gástricos, se não se complementa com a comida apropriada, a melhoria tarda em chegar.

O leite, por exemplo, pode estar associado a um efeito calmante, no entanto, é melhor evitá-la quando há qualquer tipo de problemas no aparelho digestivo, já que é um alimento muito poderoso por sua carga de proteínas, cálcio e vitaminas.

As doenças gástricas não apenas se concentram no estômago, o intestino delgado, cólon, esôfago, fígado, pâncreas ou vesícula biliar podem ser afetadas, como partes do aparelho digestivo.

O doutor Fernando Luca de Tena, especialista em aparelho digestivo do Centro Médico-Cirúrgico de Doenças Digestivas de Madrid, nos dá as orientações de alimentação para cada doença:

Gastrite

Quando o revestimento do estômago inflamado por causa de alguns medicamentos ou alimentos fortes, como os picantes, ocorre uma dor intermitente e agudo que de forma momentânea se acalma quando comemos algo. É a gastrite aguda que, se não for controlada, pode resultar na crônica.

“Existem alimentos que nos tiram as dores e, em seguida, ao cabo de hora e meia, reativa a dor. E isto é porque os alimentos sobem o PH do estômago e então baixa a acidez. Com isso, o estômago responde com um aumento da secreção de ácidos para que o PH do estômago volte a descer”, explica o doutor.

O fundamental é uma dieta sem ácidos, evitando refeições elaboradas e completas, pois estimulam a secreção ácida e agrava as dificuldades.

O leite, que um princípio pode dar a sensação de bem-estar, pouco depois de provocar um efeito rebote e, portanto, mais azia e desconforto por causa da concentração de proteínas e cálcio.

Nem as frutas e vegetais, especialmente a maçã, são desejáveis no gastrite, porque são mais difíceis de digerir.

O pão, sobre tudo, tostado e de molde, provoca muita acidez. Descartado.

O ideal é uma dieta suave como carne ou peixe ao forno ou ferro de engomar, nunca rebozados, e arroz branco, batata cozida ou massas sem molhos, principalmente de tomate, um pouco rehogada com óleo. As bebidas de cola, embora tenham gás, tendem a acalmar a dor, recomenda o médico.

Refluxo e azia

O refluxo e a acidez do estômago causa uma sensação de queimação no esôfago, que sobe até a garganta e a boca.

Um sentimento que ocorre normalmente depois de comer em excesso, pratos fortes e que pode piorar se a pessoa inclina-se ou senta e em situações específicas de estresse ou de gravidez.

“Neste caso -diz o especialista – não podemos tomar picantes, nem tomate frito, nem frios, nem puro, nem álcool, nem gorduras animais, rebozados ou tabaco”.

E o recomendado são as carnes e peixes assados, cozidos ou grelhados: massas sem molhos, batatas cozidas e legumes.

O ardor de estômago é diferente do refluxo e se localiza abaixo ou atrás do osso esterno. É uma dor fixo. Os alimentos recomendados e proibidos são praticamente os mesmos que no caso do refluxo.

Vômitos e diarréia

Os vómitos e a diarreia produzidos prontamente por uma indigestão devem ser tratadas com hidratação e dieta absoluta em princípio, e depois macia.

“Não se espera o tempo adequado de 24 ou 48 horas sem comer, apenas com a hidratação. E isso faz com que o mal volte a ocorrer”, diz Luca de Tena.

“No caso de vómitos, é bom tomar um alcalino como o aloe vera. As bebidas de cola também hidratam e amaciam as dificuldades”, acrescenta o especialista.

Gases, prisão de ventre e, até mesmo, pedras na vesícula

Os gases. Um problema digestivo que pode aparecer diariamente. “Antes não vinha ninguém a consulta por este problema, agora a grande maioria vem por inchaço e outras moléstias que causas dos gases”.

Os gases nos intestinos se originam pelo ar que engolir os alimentos, alguns mais do que outros. Ajuda a evitar as bebidas com gás, tomar água com frequência, comer devagar e evitar produtos lácteos se existe intolerância à lactose.

“Recomendamos dietas baixas em refeições flatulentas, evitando alimentos como couve-flor, o repolho, legumes…e refeições muito elaboradas, como um cozido. Além de retirar o álcool”, diz o dr. Luca de Tena.

Menu de primavera

O prisão de ventreé um problema que responde a diferentes causas e, por isso, a dieta pode variar. “No geral, a alimentação deve ser rica em fibras (verduras, legumes e frutas e legumes), além de cerca de dois litros de líquido, principalmente água por dia e evitar alimentos que estriñen como um consumo freqüente de carnes ou queijos.

E uma das doenças que ocorrem, sobretudo nas mulheres por causa de uma gravidez, são as pedras na vesícula. Um problema que normalmente requer uma operação cirúrgica e para o são proibidas a gordura animal, maionese, os citrinos ou rebozados.

Alimentos permitidos e restritos que ajudam a aliviar as diferentes perturbações digestivas.

(1 votos, média: 5,00 out of 5)
Loading…

Leave a Reply