10 hábitos não tão bons como você acha

Não é fácil levar uma vida saudável: o esforço que requer um dia a dia saudável há que acrescentar a luta contra os numerosos mitos, verdades e meias verdades que passam de geração em geração (e agora ainda mais, graças à internet). Ajudamo-lo a desmascarar 10 mitos sobre a saúde, que deverá banir para sempre.

10 hábitos não tão bons como você acha

Artigos relacionados

A gripe de 1918: surgimento e propagação

Segunda-feira 10.09.2018

Prevenção do suicídio, a terceira causa de morte entre os mais jovens

Segunda-feira 10.09.2018

Não há um consumo mínimo de álcool é seguro durante a gravidez para o feto

Segunda-feira 10.09.2018

Certeza que você já ouviu mais de uma vez na boca de seus familiares ou as leu por aí. Em qualquer dos dois casos, as aceitou como verdades absolutas. Mas, na realidade, são lendas não tão ruins quanto você pensa. Vários especialistas desceram 10 de esses hábitos:

1. Fazer exercícios antes do café da manhã

Embora, efetivamente, fazer exercício em jejum leva você a perder peso, há a diminuição de insulina – o hormônio que ajuda a consumir glicose. Como seu corpo começa a energia das proteínas, é o seu músculo, o que perde massa magra e não o seu “michelin”, que não se reduz o mínimo.

Nossa recomendação: ingerir líquidos ricos em açúcares, como os sumos naturais de fruta, antes do esporte.

2. Mascar chiclete em substituição do escovado

Se você não tem uma escova de dentes com a mão, o mais lógico parece tomar um chiclete depois de comer… E, no entanto, este gesto pode sobrecargarte da articulação temporomandibular e dos músculos que nela trabalham, o que provoca desconforto na mandíbula e dores de cabeça.

Nossa recomendação: deixa de comer chiclete de forma habitual. Sua mandíbula vai agradecer ou use o super gel volumão.

3. Evitar certos alimentos com má fama

De certeza que mais de uma vez já ouvi que o melão da noite é indigesto, ou que não há que comer chocolate se você sofre de acne. E é provável que você mesmo tenha repetido aquilo de que o pão engorda. Bem, nem o melão é mais indigesto do que qualquer outra fruta, nem o cacau piora “os grãos”, nem o pão – em quantidade moderada – contribui para o ganho de peso.

Nossa recomendação: não há nenhum alimento é proibido. Comer variado e dissipar esses mitos se chegará a uma dieta correta.

4. Beber, pelo menos, 2,5 litros de água ao dia

Beber bastante água todos os dias é um dos hábitos saudáveis que você deve incorporar à sua vida normal. Mas a sobrehidratación é tão prejudicial como a desidratação: se você beber mais de 3 litros de água por dia, ocorre uma diminuição de sódio no sangue – hiponatremia – que causa confusão, dor de cabeça, vômitos e, inclusive, alteração da função renal.

Nossa recomendação: tomar dois litros de líquidos, que inclua a água e também os chás, sopas e frutas aquosas.

5. Limpar os ouvidos com bastoncillos

A linguagem é uma substância anti-séptica que protege a sua pele do canal auditivo de germes e agressões externas. Excluí-lo se deixa exposto a infecções.

Se, além disso, se limpa com bastoncillos, o que, na realidade, estás a fazer é empurrar a cera para dentro e gerar uma tampa, com o risco acrescido de provocar lesões no canal (feridas, escoriações ou até mesmo perfuração de tímpano) por não ter uma visão direta do canal.

Nossa recomendação: A linguagem tem uma função importante para o ouvido, e só nosso otorrino deve excluí-lo quando necessário.

6. Não fica zangada

A saúde mental tem que ver com a possibilidade de sentir a emoção certa, no momento certo. Ficar é importante porque nos ajuda a colocar limites, a nos defender, a respeitar a nós mesmos. Quando sentimos uma afronta e não nos permitimos ficar com raiva, o mal está dentro e a raiva se transforma em ressentimento.

Nossa recomendação: o mal não é sentir raiva ou irritação; o ruim é que elas nos dominem e nos expressar de maneira errada, na hora errada, ou com a pessoa que não os merecem.

7. Comer por dois durante a gravidez

Durante toda a gestação, o peso que você deve ganhar um quilo por mês. Engordar mais implica riscos, como o aparecimento de diabetes gestacional, um mal progresso do trabalho de parto e que o feto seja de maior tamanho.

Nossa recomendação: Não há vontade que valha a pena! Siga uma dieta saudável e equilibrada, em que não é necessário que tome mais quantidade de um alimento, à exceção do ácido fólico, que necessita de um aporte extra.

8. Dormir 8 horas diárias

As necessidades de sono variam de pessoa para pessoa e também em função da idade. Um adulto precisa dormir em média, entre seis e meia e nove horas, pelo que as oito horas necessárias para todos é um mito.

Dormir de forma habitual menos ou mais horas das que nosso organismo necessita, dificulta nossa capacidade de concentração e desempenho e, a longo prazo, se relaciona com um aumento da mortalidade.

Nossa recomendação: o importante não é que durma um determinado número de horas, mas tapar as necessidades básicas de sono em tempo e qualidade.

9. Tomar vitamina C para curar doenças

Embora algumas células do nosso organismo necessitam de vitamina C para o seu correto funcionamento, na luta contra os vírus, tomar quantidades adicionais não te ajuda a melhorar seu sistema imunológico.

Nossa recomendação: uma dieta variada e saudável, rica em frutas e legumes, como é a mediterrânea, é suficiente para cobrir as suas necessidades de vitamina C.

10. Evitar o sol

A radiação ultravioleta B (UVB) é a mais importante fonte de vitamina D, que possui o corpo. Sua missão principal é aumentar a absorção intestinal de cálcio e fosfato e a mineralização dos ossos. Além disso, regula a pressão arterial e aumenta as defesas.

Nossa recomendação: Fugir do sol por completo não é um bom hábito. Evitar a queimadura solar é mesmo. Consegue o equilíbrio.

Tem dúvidas? Plantéalas nos comentários e responderemos com prazer.

Esta informação foi elaborada a partir das reflexões dos seguintes especialistas do Grupo Hospitalar Quíron: Alberto Aliaga (endocrinologia, Hospital Quiron basílica do Sagrado Coração), Julián Cremallet (medicina de família, Hospital Quirón Zaragoza), Paula Cruz Touro (Unidade Funcional de Otorrinolaringologia e Alergia do Hospital Universitário Quirón Dexeus), Antonio de Deus (psicologia, Hospital Quirón Marbella), Joan Ramon Garcês (dermatologia, Hospital Quirón Teknon), Fernando Garcia (medicina interna, Hospital Quirón Vitoria), Javier González Lagoas (chefe de serviço de cirurgia oral e maxilofacial do Hospital Quirón Barcelona), Txantón Martínez-Astorkiza (chefe de serviço de ginecologia, obstetrícia e reprodução assistida, Hospital Quirón Bizkaia e Quíron Bilbao), Borja Otero (ginecologia, Hospital Quirón Bizkaia), Gonzalo Pin (chefe da unidade do sono, Hospital Quirón Valência) e José Serrano Arreba (medicina interna Hospital Quirón A Corunha).

A finalidade deste blog é fornecer informações de saúde que, em qualquer caso, substitui a consulta com o seu médico. Este blog está sujeito a moderação, de forma que excluem-se dele os comentários ofensivos, publicitários, ou que não se considerem adequados em relação com o tema que trata cada um dos artigos.

Os textos, artigos e conteúdos deste BLOG estão sujeitos e protegidos por direitos de propriedade intelectual e industrial, dispondo QUÍRON as permissões necessárias para a utilização das imagens, fotografias, textos, desenhos, animações e outros conteúdos ou elementos do blog. O acesso e utilização deste site não confere ao internauta qualquer tipo de licença ou direito de uso ou exploração de qualquer um, por isso o uso, reprodução, distribuição, comunicação pública, transformação ou qualquer outra atividade similar ou análoga, está totalmente proibida sem a autorização expressa por escrito de QUÍRON.

QUÍRON se reserva o direito de retirar ou suspender temporária ou definitivamente, a qualquer momento e sem necessidade de aviso prévio, o acesso ao blog e/ou os conteúdos do mesmo para todos os Visitantes, internautas ou usuários de internet que não cumpram o estabelecido no presente Aviso, tudo isso sem prejuízo do exercício das acções contra os mesmos que procedam conforme a Lei e o Direito.

(Não Ratings Yet)
Loading…

10 maneiras de conceber um filho

O desenvolvimento da medicina da reprodução com a sua arma mais conhecida, a reprodução assistida, mas também com outras terapias farmacológicas e cirúrgicas, conseguiu que hoje em dia para que possamos solucionar os transtornos que afetam o homem, a mulher ou a ambos, dão lugar a impossibilidade ou dificuldade para engravidar de forma natural.

10 maneiras de conceber um filhoUm estudo genético encontra a relação entre esquizofrenia e consumo de cannabis

Sexta-feira 07.09.2018

O Congresso dá luz verde à saúde universal

Sexta-feira 07.09.2018

CBP: a doença hepática com

Sexta-feira 07.09.2018

Relatamos a seguir dez mini-histórias, dez exemplos de como a medicina da reprodução pode ajudar pessoas com dificuldades ou impossibilidade para engravidar de forma natural. Mas há muitas outras maneiras.

  1. Uma menina que não ovulaba por sofrer de uma síndrome de ovário policístico, conseguiu ter um filho, quando o seu ginecologista lhe prescreveu uma dieta e medicamentos capazes de fazê-la ovular.
  2. Um professor da universidade de paraplegia com um problema de ereção grave, teve com sua mulher e seu filho através de inseminação artificial, após obter o seu sêmen através de estimulação elétrica.
  3. Teresa sofreu um dia, uma apendicite com peritonite grave que lhe obstruyó as trompas de Falópio. Está mais tranquila do que sabe que quando quiser pode gestar o bebê por meio da fertilização in vitro.
  4. Aquela casal de mulheres homossexuais que conseguiram criar o bebê depois de ir a uma clínica de reprodução e utilizar o seu banco de sêmen.
  5. Aquele jovem que tinha leucemia e se curou com quimioterapia, perdeu para sempre seus espermatozóides, mas pode ser pai no futuro, porque antes do tratamento, o seu oncologista, aconselhou-lhe que guardasse amostras de sêmen congeladas para o futuro.
  6. Mulheres, hoje, têm de competir em um duro mercado de trabalho que não lhes permite ter filhos na época em que a natureza lhes é mais favorável, podem tentar adiar a sua maternidade, mantendo óvulos vitrificados.
  7. Clara havia sofrido quatro abortos seguidos, até que o seu médico lhe diagnosticou um septo no útero, uma malformação que foi resolvida após uma pequena operação sem ferimentos, com apenas 4 horas no hospital: uma histeroscopia. Sua filha tem 3 anos e esperam de um homem.
  8. Ele fez uma vasectomia depois de ter dois filhos com o primeiro casal se divorciou. Agora gostaria de ter outro filho em uma nova relação e está pensando se optar pela repermeabilización de seus deferentes com cirurgia ou obter espermatozóides com biópsia testicular e, em seguida, usá-los através de fertilização in vitro com microinyección espermática.
  9. Maria sabia que ela e seu marido eram portadores de uma doença grave que pode afetar o seu filho se purificar: a fibrose cística. Ela e seu marido fizeram uma fertilização in vitro e selecionaram-se os embriões saudáveis através do diagnóstico genético preimplantatorio. Hoje, eles têm um bebê saudável e lindo e conservam 2 embriões mais que foram vitrificados para o futuro, quando desejam aumentar a família.
  10. A esposa de João não tinha útero por uma malformação congênita. Puderam ter seus gêmeos indo a uma clínica em um país onde era legal que uma mulher, voluntariamente, gestase seus embriões.

Tem dúvidas? Plantéalas nos comentários e responderemos com prazer.

Doutor Enrique Pérez, da Branca - Quirónsalud Málaga e Campo de GibraltarEsta informação foi elaborada a partir das reflexões do doutor Enrique Pérez, da Branca, Chefe de Serviço da Unidade de Reprodução Assistida do Hospital Quirónsalud Málaga e a Unidade de Reprodução Assistida do Hospital Quirónsalud Campo de Gibraltar.

A finalidade deste blog é fornecer informações de saúde que, em qualquer caso, substitui a consulta com o seu médico. Este blog está sujeito a moderação, de forma que excluem-se dele os comentários ofensivos, publicitários, ou que não se considerem adequados em relação com o tema que trata cada um dos artigos.

Os textos, artigos e conteúdos deste BLOG estão sujeitos e protegidos por direitos de propriedade intelectual e industrial, dispondo das empresas que formam o Grupo QUIRÓNSALUD (http://quironsalud.é/é/rede-centros), as permissões necessárias para a utilização das imagens,fotografias, textos, desenhos, animações e outros conteúdos ou elementos do blog. O acesso e utilização deste site não confere ao internauta qualquer tipo de licença ou direito de uso ou exploração de qualquer um, por isso o uso, reprodução, distribuição, comunicação pública, transformação ou qualquer outra atividade similar ou análoga, está totalmente proibida sem a autorização expressa por escrito do Grupo QUIRÓNSALUD. Para estes efeitos, e no que diz respeito ao texto, neste blog, o mesmo está sujeito à licença Creative Commons, o que pode ser reproduzido em outros sites, mas você deve citar-se o autor e inserir um link para esta publicação.

QUIRÓNSALUD se reserva o direito de retirar ou suspender temporária ou definitivamente, a qualquer momento e sem necessidade de aviso prévio, o acesso ao blog e/ou os conteúdos do mesmo para todos os visitantes, internautas ou usuários de internet que não cumpram o estabelecido no presente Aviso, tudo isso sem prejuízo do exercício das acções contra os mesmos que procedam conforme a Lei e o Direito.

(Não Ratings Yet)
Loading…

10 de outubro: “Pondera. Entre em meu lugar: conecte-se comigo”

10 de outubro: Imagem cedida pelo Telefone da Esperança

Artigos relacionados

O Di_capacitados!:

Quinta-feira 08.10.2015

Transtornos mentais e HIV: doenças que se retroalimentam

Segunda-feira 05.10.2015

Os números da depressão

Quinta-feira 01.10.2015

PREVENSUIC: nasce a aplicação para prevenir o suicídio

Quinta-feira 10.09.2015

Com motivo do Dia Mundial da Saúde Mental, que se celebra hoje 10 de outubro, o comitê de pessoas com doença mental, a Confederação da Saúde Mental, a Espanha apresenta um Manifesto com o objetivo de que a sociedade fique com esta mensagem: “Pondera. Entre em meu lugar: conecte-se comigo”. A escassez de recursos e o estigma social que rodeia os problemas de saúde mental fazem necessário que a sociedade se envolva e reivindicar maior atenção a esta área da saúde.

Iniciativa que também é apoiada pela ONG “Telefone da Esperança”, que nos lembra que 65% das chamadas atendidas em linha de atenção à crise estão relacionadas com problemas de saúde mental. Telefone da Esperança: 902 500 002.

Manifesto 2015. “Pondera. Entre em meu lugar: conecte-se comigo”

Quanto mede a linha imaginária que une as estrelas umas com as outras? Quão pequeno pode ser um ponto no espaço??? Como pode uma vela para iluminar o infinito? Faz parte da natureza humana investigar o desconhecido.

Há uma certeza: a doença mental aparece e todo o seu universo se comove. A mente, a par da luz, viajando depois de uma resposta que não chega, talvez porque a sociedade, em sua aparente sensatez, não reconhece seus próprios filhos.

Infográfico da saúde mental prestada pelo Telefone da Esperança

Muda o olhar, porque me necessita. Precisar de mim como a montanha precisa de quem a bancada de trabalho, como a folha amarelada precisa de gotas de orvalho, como o velho em sua velhice precisa sorriso da criança.

Você Me olha, eu te olho, você me vê, eu te vejo. Nós Estamos no mesmo lugar, coisas do destino. Nos encontramos, por algo será. Viajou incansavelmente por distantes paragens à procura de novas experiências, e é possível que não saiba que perto de você, há pessoas que podem dar-lhe muito mais do que você imagina. Búscanos, contacte-nos e encontrará resposta para o desconhecido, esquecido; você verá o quão valioso da vida.

Quando você acorda todas as manhãs e você se olha ao espelho, lá está você, mas você não se dá conta que uma dessas manhãs, eu posso estar refletido também em ti.

Há quem diz que a essência para descobrir novos mundos, é começar. Precisamos caminhar para uma nova consciência partilhada sobre a doença mental;conectar, ligar. Atreva-se a abrir à informação, à ciência, à construção de pontes comigo. Sou um mundo por descobrir.

Já não falaremos de limitações, nem de sofrimento: vamos começar a falar de espírito de superação. Já não vamos falar de solidão: atrevámonos a construir pontes de amizade. Não voltaremos nunca mais ser punidos com a travessia do deserto, onde perecem as esperanças.

A vida, a verdadeira vida, cresce o outro lado das areias; não fiques com as aparências. Atreva-se, explora, entre em contato comigo.

Há algo por trás do ouro incrustado na rocha. Há algo por trás das pedras esculpidas pelo homem. Há algo por trás das lágrimas espalhadas pelo chão. Há algo fica coerência ao conjunto, e que faz com que a mente seja permeável à beleza.

Pondera. Entre em meu lugar: conecte-se comigo.

(Não Ratings Yet)
Loading…

10 dicas infalíveis para tornar mais fácil a volta à rotina

O retorno ao trabalho pode causar alterações como falta de apetite, dores musculares e irritabilidade. Começa que não se afete com estas recomendações.

10 dicas infalíveis para tornar mais fácil a volta à rotina

Artigos relacionados

A gripe de 1918: surgimento e propagação

Segunda-feira 10.09.2018

Prevenção do suicídio, a terceira causa de morte entre os mais jovens

Segunda-feira 10.09.2018

Não há um consumo mínimo de álcool é seguro durante a gravidez para o feto

Segunda-feira 10.09.2018

É o momento mais temido do ano: os congestionamentos, o despertador, a gravata… O conhecido como síndrome pós-férias, caracterizado por apatia, falta de energia e concentração para realizar as tarefas, parece difícil de superar, mas existem medidas para torná-lo mais suportável e, para começar com vontade nesta nova etapa do ano.

Quem é que pode mais?

Em geral costuma afetar mais a:

  • os menores de 45 anos,
  • para os que gostam de férias mais longas,
  • pessoas que trabalham em um ambiente desagradável, não é ilusionan por seu trabalho ou lidam com um mau chefe,
  • aquelas que realizam uma ruptura brusca do ritmo de vida de férias e incorporados à rotina sem uma breve transição.

Evíitalo em 10 passos

  1. Planeie a incorporação à rotina, dois dias antes do final das férias o período de adaptação, desfrutando deles.
  2. Pouco a pouco, retoma os horários habituais de deitar-se e levantar-se.
  3. Programa de atividades de lazer para os primeiros dias após o regresso. Um bom filme ou um passeio no parque podem ser muito gratificantes.
  4. Durma mais horas nos primeiros dias da volta à normalidade. Também há que descansar das férias.
  5. Imprime e ordena as fotos e recordações em um álbum para reviver os bons momentos.
  6. Nos primeiros momentos e dias, regula o nível de atividade. Vê de menos a mais, desta forma você vai se sentir mais competente.
  7. Evita o pensamento em branco (a felicidade das férias) e preto (o sofrimento da rotina). Abre a porta para os momentos gratificantes em qualquer época do ano.
  8. Não se queixam permanentemente. Você vai se sentir mal e não irá ajudá-lo a adaptar-se.
  9. Se você anotações muito afetado pela volta ao trabalho, não tome decisões vitais sobre o seu futuro profissional nos dias de hoje. Pede conselho e espera a sentir-se melhor.
  10. Enfrenta a volta com idéias desafiantes e traça planos para que se cumpram. Faça como as crianças: retoma seu projeto vital em setembro.

Esta informação foi elaborada a partir das reflexões de Marina Sangonzalo, da Unidade de Psicologia Clínica do Hospital Quirónsalud Valência.

A finalidade deste blog é fornecer informações de saúde que, em qualquer caso, substitui a consulta com o seu médico. Este blog está sujeito a moderação, de forma que excluem-se dele os comentários ofensivos, publicitários, ou que não se considerem adequados em relação com o tema que trata cada um dos artigos.
Os textos, artigos e conteúdos deste BLOG estão sujeitos e protegidos por direitos de propriedade intelectual e industrial, dispondo das empresas que formam o Grupo QUIRÓNSALUD (Rede de centros Quirónsalud), as permissões necessárias para a utilização das imagens,fotografias, textos, desenhos, animações e outros conteúdos ou elementos do blog. O acesso e utilização deste site não confere ao internauta qualquer tipo de licença ou direito de uso ou exploração de qualquer um, por isso o uso, reprodução, distribuição, comunicação pública, transformação ou qualquer outra atividade similar ou análoga, está totalmente proibida sem a autorização expressa por escrito do Grupo QUIRÓNSALUD. Para estes efeitos, e no que diz respeito ao texto deste blog, o mesmo está sujeito à licença Creative Commons, o que pode ser reproduzido em outros sites, mas você deve citar-se o autor e inserir um link para esta publicação.
QUIRÓNSALUD se reserva o direito de retirar ou suspender temporária ou definitivamente, a qualquer momento e sem necessidade de aviso prévio, o acesso ao blog e/ou os conteúdos do mesmo para todos os visitantes, internautas ou usuários de internet que não cumpram o estabelecido no presente Aviso, tudo isso sem prejuízo do exercício das acções contra os mesmos que procedam conforme a Lei e o Direito.

(Não Ratings Yet)
Loading…

‘Move-te pela diabetes’, uma corrida cujo objetivo é a prevenção

A Corrida e Caminhada Popular pelo Diabetes é o maior evento esportivo solidário em Portugal sobre esta doença. Uma prova de 10 km, 5 km -ambas com categorias masculina e feminina, e três prêmios por categoria-, uma caminhada de 2,2 km e corrida para crianças para crianças de 0 a 12 anos, cujo objetivo é sensibilizar a sociedade sobre o papel positivo que tem a atividade física continuada em diabetes

'Move-te pela diabetes', uma corrida cujo objetivo é a prevenção

Artigos relacionados

Como afeta a diabetes a mulher?

Terça-feira 14.11.2017

Segunda-feira 13.11.2017

Segunda-feira 05.06.2017

No passado dia 14 de novembro foi o Dia Mundial do Diabetes. Mais de 4.000 corredores se reuniram no último domingo, dia 19 de novembro, na 6ª Corrida e Caminhada Popular por Diabetes e ExpoDiabetes, o maior evento esportivo-solidário sobre esta doença, que se realiza a nível nacional.

Sob o lema‘Junte-se a maré azul, mova-se pelo diabetes’, da Fundação Espanhola para a Diabetes (FED) e a Associação Diabetes Madrid pretendem consciencializar sobre a importância de se praticar algum tipo de atividade física de forma regular para prevenir a diabetes tipo 2 e melhorar o controle do diabetes tipo 1 e 2.

A diabetes tipo 2 é uma doença que sofrem mais de 5 milhões de espanhóis e cuja incidência aumenta dia-a-dia por causa de hábitos de vida sedentários, com sobrepeso e obesidade.

A edição deste ano, realizada no Passeio Camões do Parque do Oeste de Madrid, repetiu também o seu recorde de visitantes ExpoDiabetes, a feira que é organizada de forma paralela à das provas desportivas.

No total, cerca de 5.000 pessoas visitaram os diferentes stands, onde puderam conhecer, em primeira mão, vários aspectos médicos e nutricionais relacionados com esta doença.

Nesta edição, o Conselheiro de Saúdeda Comunidade de Madrid, Enrique Ruiz Escudeiro, e o vice-conselheiro de Humanização dos Cuidados de Saúde, Fernando Campos, decidiu mostrar seu apoio a esta iniciativa de advocacia e sensibilização para correr a prova de 10 km

Com a sua participação ambos trasmitieron que o esporte não deve ser uma moda, mas um estilo de vida que ajude a toda a população a se sentir melhor.

Por esta razão, a atriz Belinda Washington, convidada de honra e cujo marido tem diabetes tipo 1, quis reconhecer o trabalho da mulher na ajuda à prevenção desta patologia, infundindo hábitos saudáveis para os membros de sua família, e desatacar o seu papel de protagonista no cuidado dos filhos e apoio para o casal, pais e outros familiares com esta patologia.

Todos juntos, na linha de chegada, cortaram a fita e têm dado o tiro de partida da corrida de 5 Km e 10 km

Olga Insua, presidente do FED, disse que “este tipo de iniciativas são essenciais para sensibilizar a sociedade em geral sobre a importância que tem a prática de atividade física regular tanto para prevenir a diabetes tipo 2 como para o tratamento de diabetes tipo 1 e 2, juntamente com uma dieta adequada.

Além disso, demonstrou-se que a diabetes não significa nenhum limite para praticar esporte ou qualquer outra atividade”.

Por sua parte, João Manuel Gómez, presidente da Associação Diabetes Madrid, afirmou que “é fundamental alertar a população sobre o progressivo e preocupante aumento dos casos de diabetes tipo 2”.

Gomez mostrou a sua “satisfação por o grande número de famílias que se uniram este ano a Maré Azul; põe-se de manifesto que essas pessoas e suas famílias optarem por viver a diabetes com positividade, e fico feliz em ver o interesse que têm por informar-se e educar-se com o objetivo de controlar melhor a doença. Estamos convencidos de que esta Corrida serve de exemplo e motivação para os mais de cinco milhões de pessoas com diabetes que vivem em Portugal”.

A diabetes e suas complicações

Trata-Se de uma doença crônica, que se tornou uma das grandes ameaças do século XXI. Hábitos de alimentação pouco saudáveis e aumento do sedentarismo da população estão a provocar um aumento significativo de pessoas com diabetes tipo 2.

Perante esta situação, os profissionais médicos, instituições de saúde e as organizações relacionadas com esta doença insistem na necessidade de uma ação conjunta para reverter esta tendência.

(Não Ratings Yet)
Loading…

1 em cada 4 mulheres expostas à gravidez recorre à pílula poscoital

Apenas uma em cada quatro mulheres em risco de gravidez não desejada recorre à pílula anticoncepcional de emergência (PAU) e a maioria alega, como razão para não fazê-lo a falta de estimativa do risco, de acordo com as conclusões de uma pesquisa sobre mulheres de cinco países europeus

1 em cada 4 mulheres expostas à gravidez recorre à pílula poscoitalDuas embalagens de pílula postcoital. EFE/Kai FörsterlingCrianças superdotadas, e de uma infância diferente

Segunda-feira 10.09.2018

Não há um consumo mínimo de álcool é seguro durante a gravidez para o feto

Segunda-feira 10.09.2018

CBP: a doença hepática com

Sexta-feira 07.09.2018

O estudo “Percepção da mulher sobre a pílula anticoncepcional de emergência” , elaborado pela BVaHealthcare (Instituto Internacional de Pesquisa de Mercado e Opinião), em colaboração com a empresa farmacêutica HRA Pharma, recolhe a opinião de 11.000 mulheres -1.282 espanholas – entre 16 e 45 anos, conhecido como pílula do dia seguinte.

Segundo explicou hoje em uma coletiva de imprensa para apresentar as conclusões deste relatório, o chefe de Serviço de Ginecologia do Hospital de Santiago Apóstolo de Vitoria, Iñaki Lete, as mulheres comuns reclamam, no entanto, mais informações e a “desmitificação” do uso desta pílula.

“Quase 9 em cada 10 acreditam que não deve ser tabu, nem provocar sentimento de culpa”, salientou neste sentido.

Assim, em 30 por cento não sabia como funciona a contracepção de emergência, 60 por cento não sabe que não há estéril e 43 por cento não sabe que não é um aborto. No entanto, mais de 92 por cento (92%) gostaria de obter mais informações disponíveis sobre o tema, embora apenas 30% delas já foi comentado com o seu médico.

“As mulheres esperam mais informações de produtos farmacêuticos em casos de urgência e dos médicos, em relação à prevenção”, indicou.

Para Leta, as mulheres que têm em casa a receita de PAU “e não leva mais essa pílula que o resto das mulheres, mas que o fazem antes e melhor”, uma vez que poupam tempo.

Por sua parte, a drª Paloma Lobo, do Hospital Infanta Sofia de San Sebastián de los Reyes (Madrid), lamentou que o uso da pílula poscoital “continua a ser insuficiente em comparação com o número de relações sexuais com risco de gravidez não desejada”.

Assim, a pesquisa revela que apenas 26 por cento de mulheres expostas a um risco de gravidez, recorreu à anticoncepção de emergência e apenas 6 por cento das mulheres espanholas vieram a ele no último ano.

Daquelas que, nesta situação, não compareceram à pílula do dia seguinte, com 63% explicaram que o desconhecimento do risco de gravidez foi a principal causa para não utilizá-la.

Por seu lado, as mulheres que usaram a pílula anticoncepcional de emergência, declararam que lhes foi fácil obtê-la diretamente na farmácia sem receita médica e seu uso não está associada a nenhuma circunstância excepcional como ter consumido drogas ou álcool.

Aqueles que fizeram uso da pílula poscoital dizem que seu uso foi racional como método de prevenção de gravidez não desejada, em uma situação de normalidade, e com motivo de uma falha do método contraceptivo.

Neste sentido, o método mais comum é o preservativo (43%), seguido da pílula (29%), o anel vaginal (5%), o dispositivo intra-uterino (4%), a marcha-atrás (4%) e o implante hormonal (4%).

A razão mais comum para o uso do PAU é uma falha do preservativo (63%), seguido pela ausência de método contraceptivo ou por uma pausa temporária (34%).

Para 43% das mulheres que tomaram um contraceptivo de emergência foi sua primeira experiência com este, 24% já haviam utilizado uma vez em sua vida, 22% 2 vezes, e 11% 3 vezes ou mais.

(Não Ratings Yet)
Loading…

10 dicas contra a fadiga do câncer (sintoma de cansaço)

Dor de cabeça, tonturas, falta de sono…sintomas que fazem parte do cansaço crônico que sofrem os doentes oncológicos, um efeito secundário, que afeta 70 por cento, e perante o qual, no Dia Mundial contra esta doença, a iniciativa “Actívate pelo câncer” oferece dez recomendações para que a fadiga não impede de enfrentar a vida diária

10 dicas contra a fadiga do câncer (sintoma de cansaço)Recreação com modelo do quadro “Sol da manhã”, de Edward Hopper, o Museu Thyssen Bornemisza, em Madrid. EFE/J. J. Guillén

Artigos relacionados

Depressão, primeira causa de doença e terceira de morte entre adolescentes

Quarta-feira 14.05.2014

Eu tenho câncer, o que devo comer?

Segunda-feira 29.12.2014

O que você pode fazer a dieta para prevenir o câncer?

Terça-feira 03.02.2015

Ir mais além do diagnóstico para atender um sintoma de fadiga crônica que impede os pacientes de realizar suas atividades cotidianas, é o objectivo desta iniciativa do Grupo IMO, apresentada pela especialista em oncologia Maria Anjos Gajete, a psicooncóloga Ana Sanz e Natacha Bolaños, especialista em reabilitação do Grupo Português de Pacientes com Câncer (GEPAC).

Isso leva a mais de 33% dos pacientes a considerar que não se trata de forma adequada um efeito secundário que gera problemas do sono, ansiedade ou baixo estado de espírito, o que dá lugar ao cansaço como causa de abandono de atividades e desconforto emocional.

Para não deixar que a fadiga domine a vida diária do paciente com câncer , é necessário repor as forças físicas, cognitivas e emocionais através da atividade e o exercício físico, onde o mais difícil é começar.

Que a fadiga não se pare

Embora não se conheça uma causa específica, o medo às mudanças que a doença obriga a enfrentar costuma ser a origem de uma falta de energia que pode dar lugar a um círculo vicioso, onde a perturbação do sono gera alterações cognitivas, que podem resultar em ansiedade e depressão, os sintomas provocam um maior gasto energético.

Perante o cansaço, que afeta oito em cada dez pacientes, e diante de casos em que atividades como levantar de uma cadeira ou ir às compras representam um grande esforço, dez chaves:

Sintoma de cansaço. Apresentação do decálogo

  1. Manter as atividades normais, embora o ritmo seja menor.
  2. Priorizar as tarefas e incluir tempos para descansar.
  3. Planejar as atividades de uma forma realista.
  4. Não culpar e pedir ajuda.
  5. Em Frente à apatia, realizar atividades gratificantes, apesar de a princípio parecer.
  6. Melhorar o nível de energia com uma atitude positiva.
  7. Combater a ansiedade com exercícios de relaxamento e respiração.
  8. Seguir um horário e uma rotina à hora de dormir.
  9. Aumentar a energia com uma dieta saudável e equilibrada.
  10. Fazer exercício físico de forma regular e moderada.

O primeiro passo neste longo caminho, não se dá com os pés, mas também com a mente, com uma mudança na forma de pensar, que se bem “é mais fácil de dizer do que de fazer”, como indica a doutora Sanz, é fundamental para recuperar a massa muscular e a mobilidade funcional do dia-a-dia.

Como enfrentar o cansaço perante os sintomas de cansaço

Embora a intensidade é subjetiva, o cansaço crônico é um efeito da doença e o tratamento, que pode durar meses e até mesmo anos, depois de terminar com a medicação.

No entanto, sua origem múltipla obriga o médico a enfrentar a primeira causa visível, que determina um tratamento dirigido, em que se tenta evitar os medicamentos através de um apoio nutricional, aconselhamento psicológico e ajuda para melhorar a qualidade do sono ou para fazer desporto.

Junto aos conselhos médicos, o paciente pode adicionar sua própria iniciativa e força de vontade para pedir ajuda, quando os sintomas da fadiga se agravem, e para começar a fazer uma atividade física que:

  • Melhora o sistema imunológico.
  • Diminui a degradação de proteínas.
  • Libera endorfinas.
  • Aumenta as relações sociais.

Para conseguir esses benefícios, o roteiro consiste em começar por aumentar a atividade física com passeios ou atividades cotidianas, que preparem o paciente para uma progressão que lhe permita poder fazer 150 minutos de exercício físico moderado e 75 minutos de exercício vigoroso, a cada semana.

(Não Ratings Yet)
Loading…

1 em cada 3 está em idade fértil

O câncer de mama em mulheres jovens experimentou um ligeiro aumento nos últimos anos em Portugal: um em cada três casos diagnosticados se dá em idades abaixo dos 45 anos, quando ainda se está em fase reprodutiva e as causas estão nas mudanças sociais e culturais das últimas décadas

Aumenta o câncer de mama em mulheres jovens: 1 de cada 3 está em idade fértilA presidente do PP de Madrid, Esperanza Aguirre (2i), acompanhada, entre outros, da doutora Marina Pollán (i), o presidente do Grupo Português de Investigação em Cancro de Mama (GEICAM), Miguel Martinho, Ana Lluch (2d) e Josefa Madrid (d), durante a apresentação nesta manhã em Madrid do estudo de GEICAM. EFE/Fernando AlvaradoCrianças superdotadas, e de uma infância diferente

Segunda-feira 10.09.2018

Não há um consumo mínimo de álcool é seguro durante a gravidez para o feto

Segunda-feira 10.09.2018

CBP: a doença hepática com

Sexta-feira 07.09.2018

O ritmo de vida atual, mudanças na dieta, a renúncia a maternidade ou o atraso na idade em que a mulher tem o primeiro filho são alguns dos motivos que explicam esse aumento, segundo recolhe o projeto “O Álamo III”, o terceiro de uma série de estudos realizados pelo Grupo Português de Investigação em Cancro de Mama (Geicam), apresentado hoje em conferência de imprensa.

O estudo, que coleta dados demográficos e terapêuticos 10.675 pacientes com câncer de mama em 35 hospitais, durante o período 1998-2001 e sua evolução até o ano de 2007, destaca-se o aumento dos casos diagnosticados em fases menos avançadas, o que, segundo o doutor Miguel Martín, presidente Geicam, se deve a dois motivos: as mamografias e a maior conscientização das mulheres espanholas.

Precisamente neste ponto tem incidido a tal da Comunidade de Madrid, Esperanza Aguirre, que foi valorizada que aumentaram 21% das revisões ordinárias na região a poucos meses de ser diagnosticada com câncer de mama e animara as cidadãs a se submeter a essas revisões.

A presidente do PP em madrid, que foi atendida pelo dr. Martin no Gregorio Marañón, salientou que “é a possibilidade que nós demos aos moradores de escolher o médico e o hospital me foi muito útil.”

Isso, juntamente com a melhoria das opções de tratamento complementar, tem sido um aumento da sobrevivência aos cinco anos de 75 a 87%, uma taxa acima da média europeia e próxima a países como a França ou a Suécia, explicou a doutora Marina Pollán, do Centro Nacional de Epidemiologia do Instituto de Saúde Carlos III.

Esta pesquisadora insistiu em que a sobrevivência tem muitos que ver com os estádios em que se diagnostica o câncer, de tal forma que as recaídas são muito ligadas a como estava estendido o tumor em seu diagnóstico.

A doutora Lluch assegurou que o câncer de mama não é uma entidade, mas muitas entidades diferentes, “tantas como pacientes temos”, e explicou que hoje em dia são classificados em subtipos com base na genómica -as que possuem receptores hormonais, as que não têm (triplo negativo) e as que sobreexpresan o HR2-, o que permite personalizar os tratamentos.

Outro parâmetro de qualidade que põe de relevo o estudo é o elevado percentual de mulheres que se submetem a uma cirurgia conservadora (45,8%), 25,5 % a mais do que há dez anos. “Não se trata apenas de curar, mas de deixar a paciente como estava”, salientou o dr. Martin.

O trabalho também revela um aumento no uso da radioterapia(11 %); na quimioterapia como tratamento complementar e a hormonoterapia, este último devido à maior proporção de pacientes em que se lhes identifica os receptores hormonais.

A este respeito, a doutora Lluch assinalou que estes testes não há que fazê-los para todo o mundo e só 15 % necessitaria submeter-se a eles.

(Não Ratings Yet)
Loading…

‘A próstata importa’

'A próstata importa'Campanha ‘A próstata importa’./ Imagem cedida pela GSK

Artigos relacionados

Uma década do robô da Vinci em Portugal, a melhor tecnologia em urologia

Quinta-feira 19.11.2015

Avanços na abordagem do câncer de próstata

Quinta-feira 15.10.2015

A clínica CEMTRO, à vanguarda mundial em cirurgia prostática

Quinta-feira 25.06.2015

A campanha “A próstata importa” persegue que essas pessoas devem consultar com seu médico para receber o tratamento, que nem sempre é medicamentoso ou cirúrgico, já que em boa medida se baseia em dicas de qualidade de vida.

Esta iniciativa foi impulsionada pela farmacêutica GSK e foi aprovada, e apresentada em conferência de imprensa, por representantes da Associação Espanhola de Urologia (AEU) e de sociedades médicas de atenção primária Semergen, de medicina de família e comunitária Semfyc e de médicos gerais Semg, além do Colégio Oficial de Farmacêuticos de Madrid.

Os médicos, como José Maria Cozar, presidente da AEU, têm incidido sobre a necessidade de consultar o seu médico se apresentam distúrbios urinários, tais como a dificuldade para começar a urinar ou que a urina flua de forma fraca ou lenta.

Diante destes sinais, deve dirigir-se ao médico para verificar se não padece desta doença que tem um impacto importante na qualidade de vida dos pacientes, muitos dos quais a assumem como uma condição própria da idade.

próstata

Assumem os sintomas e não vão ao médico “, por vergonha ou pudor” de ter que discuti-las ou por medo de que possa tratar-se de outra doença mais grave, como foi comentado em Julho Zarco, diretor-geral de Coordenação da Atenção ao Cidadão e Humanização de Cuidados de Saúde da Comunidade de Madrid.

A Hiperplasia Benigna da Próstata (HBP)

É a patologia mais prevalente nas consultas de urologia, já que mais de 50 % dos maiores de 50 anos vão sufrirla, de acordo com Cozar, e mais de 60 % de pessoas com mais de 60.

Por isso, é importante consultar o médico antes de o primeiro sintoma para ajudá-los com um tratamento que em um terço dos pacientes, com sinais leves, pode consistir em seguir uma série de dicas.

Para melhorar os sintomas causados pela DOENÇA, os médicos recomendam evitar beber mais de dois litros de água por dia e tentar não fazê-lo antes de dormir ou em momentos em que não tenha fácil acesso a uma casa de banho.

Além disso, também incentivam consultar o médico, como disse Antonio Fernández-Pro Ledesma, presidente da Semg, para “conciliar o kit”, ou seja, para evitar fármacos recomendados ou que os que engolir o faça nos momentos ideais para beber água.

Devem buscar, além de esvaziar completamente a bexiga em cada micção e consultar o médico para realizar os exercícios e técnicas específicas de treino, mas também têm que tentar manter seu peso e fazer exercício regularmente.

Para divulgar a campanha, um urologista, um médico e uma enfermeira se deslocam em um ônibus para vários pontos de Madrid para atender as consultas sobre a próstata dos pacientes, que também poderão se informar no site da campanha.

.-Efesalud

(Não Ratings Yet)
Loading…

1.500 participantes e três consensos

O Dia Mundial Contra o Câncer de Mama, 19 de outubro, coincidiu com o encerramento do I Congresso Português de Mama, um evento sem precedentes que, de acordo com Carlos Oliveira, presidente da Sociedade Espanhola de Senología e Patologia Mamária (SESPM) e gestor da iniciativa, superou as expectativas porque forneceu uma perspectiva multidisciplinar do tema

O I Congresso Português de Mama conclui com sucesso: 1.500 participantes e três consensosUma das mesas do I Congresso Português de Mama. Foto fornecida pelo gabinete de imprensa do evento.

Artigos relacionados

A gripe de 1918: surgimento e propagação

Segunda-feira 10.09.2018

CBP: a doença hepática com

Sexta-feira 07.09.2018

Anemia e deficiência de ferro, um verdadeiro problema de saúde pública

Sexta-feira 07.09.2018

“Esperávamos entre 900 e 1.000 participantes, mas já ultrapassado os 1.300 e, com 200 pessoas da indústria, tivemos momentos em que éramos 1.500 pessoas no Centro de Convenções IFEMA; eu acho que foi um sucesso, não tanto do congresso como tal, mas do modelo de congresso”, afirmou a EFEsalud o doutor Carlos Vázquez.

A chave desse sucesso para o especialista tem sido a organização de um evento de caráter multidisciplinar , em que cada um especialista em uma matéria que se relacione, em maior ou menor grau com patologia mamária “sempre lotado, opinião e aprendido”.

Os consensos

Um dos principais resultados do I Congresso Português de Mama é o desenvolvimento de três consensos que repercutirão na abordagem geral do câncer de mama.

Trata-Se do consenso sobre a biópsia seletiva do gânglio sentinela, o acompanhamento de pacientes e o da interação entre a fertilidade e a doença.

Carlos Vázquez, considerando que esses consensos foram estabelecidos durante as jornadas “, com opiniões diversas, muita participação e com a conclusão final de como fazer as coisas”.

“Foram estabelecidas as estratégias que recomendamos aos membros de uma sociedade científica. De alguma maneira, estamos sugerindo que, quando houver um problema em que esses três aspectos, siga a legislação que ministraram os especialistas reunidos no congresso nacional”, enfatizou Oliveira.

Sobre o gânglio sentinela

A técnica do gânglio sentinela, um dos temas mais esperados do congresso, é a que consiste em injetar no tumor uma molécula tingida com contraste, que se comporta como uma célula maligna, que viajará para a primeira estação em três pilares. Se o extirpá-la, não se encontram células malignas, o risco de disseminação para outros gânglios será mínimo, pelo que não será necessário remover o resto de nós.

O doutor Vázquez afirmou que durante o encontro não só foram unificadas ideias sobre esta técnica, mas também avançaram.

Além disso, considerando que, surgiram novos aportes “e falou-se da não necessidade de se fazer a biópsia de um gânglio sentinela porque as técnicas de imagem melhoraram significativamente”.

Diagnóstico precoce

Outro tema que ganhou destaque nas sessões é o diagnóstico precoce, de acordo com o dr. Carlos Oliveira, que foi manifestado, que é um elemento que permite aumentar a sobrevida por câncer de mama “notavelmente”.

A idéia de que houve é criar programas específicos para essas mulheres em alto risco para o fator hereditário e “insistir na recomendação, seja qual for a idade, consultar imediatamente um especialista diante da presença de um nódulo mamário”, indicou Vázquez.

Mais conclusões

Carlos Oliveira, presidente do I Congresso Português de Mama, resumiu as temáticas e conclusões que foram tratados neste evento:

  • “Estratégias coordenadas em estádios iniciais. A conveniência de dar ou não quimioterapia em alguns momentos. Tem-Se discutido se é necessária a quimioterapia nestes pacientes”.
  • “O tratamento sistêmico primário. Se analisou a quimioterapia primária, com o fim de tentar evitar a mastectomia, ou seja, para reduzir o tamanho do tumor”.
  • “A limitação da necessidade de se fazer a biópsia de um gânglio sentinela e em que ocasiões há que recorrer ao esvaziamento dos gânglios quando há uma deficiência importante do sentinela”.
  • “Sobre o tratamento radioterápico foi tratado a limitação de campos e, em muitos casos, o papel que pode ter a radioterapia em substituição à cirurgia quando há um comprometimento axilar”.
  • “As contribuições da indústria que têm sido notáveis, especialmente no tema da tomosíntesis, que é a maior definição de uma lesão suspeita na mama e a sua aplicação aos programas de rastreio”.
  • “A redução de dose de radiação em mamografias e os avanços no diagnóstico invasivo, não cirúrgico de lesões suspeitas, o que é fundamental para determinar se uma lesão é de tumores ou não e o que se pode fazer através de métodos de radiologia intervencionista”.
  • “As novas técnicas complementares do uso de gordura autóloga nas reconstruções de mama após mastectomia”.

Carlos Vázquez destacou o fórum de unidades de mama no participaram médicos, coordenadores de unidades e pacientes de diversas associações. “Eu acho que abordou todos os temas relacionados com a patologia mamária. Ao final, a indústria e a comunidade científica nos convidaram a fazer a segunda versão, dentro de dois anos”, concluiu.

(Não Ratings Yet)
Loading…

“As vacinas em crianças são totalmente essenciais”

Dr. López Goñi: Uma criança recebe uma vacina. EFE/Javier Roibás VeigaRuanda: Vacinas que salvam vidas

Sexta-feira 22.04.2016

Origem, sintomas, diagnóstico e prevenção do zika

Segunda-feira 08.02.2016

México aprova a primeira vacina contra a dengue do mundo

Quarta-feira 09.12.2015

O doutor Ignacio López Goñi intervém hoje na “I Jornadas científico de divulgação da cidade de Ávila” realizadas no Auditório de São Francisco, com uma conferência intitulada Como funcionam as vacinas? Por que tem que vacinar?

Na conversa com EFEsalud explica por que é tão necessário estar vacinado e realiza algumas considerações sobre os “movimentos antivacunas”.

Por que tem que vacinar?

Porque as vacinas nos protegem de doenças infecciosas e o problema é seu próprio sucesso. Ou seja, graças à sua eficácia cada vez há menos doenças e existe a falsa sensação de que não há necessidade de vacinar.

Nos países em que reduz a cobertura de vacinação (a quantidade de pessoas que se vacunan) voltam a ressurgir estas doenças infecciosas e muitas são graves e até mesmo fatais. Na Europa há alguns surtos infecciosos de sarampo e está relacionado com uma diminuição da cobertura de vacinação.

Dr. Ignacio López Goñi/ Foto cedida por ele.

Como funcionam as vacinas?

As vacinas estimulam as defesas para que, quando se encontrar com o microrganismo patogénico que provoca a doença, já que as defesas preparadas. Por isso, as vacinas podem ser microrganismos mortos ou enfraquecidos que são capazes de estimular o sistema imune para ativá-lo de forma rápida.

Como está a legalidade em relação à vacinação? O que acontece com os pais que optam por não vacinar seus filhos?

A vacinação não é obrigatória por lei, mas é uma irresponsabilidade, não só com os filhos, mas com o resto da cidadania. As vacinas têm um componente social, de que tu te vacunes depende a saúde do outro.

Há que ter em conta que há pessoas que, por razões médicas, não é conveniente que se vacunen e o resto da sociedade os protegem, se estamos vacinados. A vacina quebra a cadeia de transmissão do vírus, é uma espécie de cinto de saúde que você colocou ao redor da criança.

A situação é diferente quando há um surto epidémico porque se aplicam as condições legais excepcionais. Se, por exemplo, estende-se o sarampo, obriga-se a vacinação, por motivo de saúde pública.

Atualmente, há bastante controvérsia sobre as vacinas em crianças Vacinas se ou não em crianças?

Claro que sim. A vacinação não é obrigatória, mas são recomendados porque são um bem social. As vacinas em crianças são totalmente essenciais, a quantidade de doenças infecciosas pode padecer de uma criança é enorme, pois é a época mais vulnerável e seus sistemas imunes ainda estão se desenvolvendo.

Dá-Se o paradoxo de que em alguns países em vias de desenvolvimento, há famílias que estão a centenas de quilômetros e pagam o que for para vacinar seus filhos contra essas doenças, porque vê a morte de perto. E em outras regiões do planeta, onde sobra a abundância, como, por exemplo, na Califórnia, há cerca de movimentos antivacunas muito ativos e, inclusive, há bairros onde a cobertura de vacinação é menor do que nos países em vias de desenvolvimento. É uma contradição.

Por que esses movimentos antivacunas?

Esses movimentos são mais comuns nos países anglo-saxões, em Portugal não há uma grande actividade, é mais por adiamento ou por falta de informação. Nos EUA há correntes associadas à onda do ambientalismo e a idéia de que tudo que é natural é muito melhor. Pensam que os efeitos colaterais das vacinas não compensam a vacinação, quando é o contrário. É sempre melhor vacina que ter a doença que protege.

Quais são os efeitos secundários pode nos causar?

Vacina. EFE/J. J. Guillén

  • O mais normal são os efeitos colaterais leves que se dão porque a vacina funciona. É normal que haja, por vezes, umas décimas de febre, certo desconforto, vermelhidão da área e, em alguns casos, até pequenos sintomas da própria doença. Cada pessoa pode responder de maneira diferente, por isso sempre a vacinação tem de ser recomendada por seu médico, que é quem conhece seu histórico.
  • Em casos muito esporádicos, 1 ou 2 por milhão de vacinados, pode haver algum problema sério de rejeição da vacina. A nível populacional, são casos pontuais. Isso é o que a sociedade tem que valorizar, se querem que haja 200 mil casos de pólio, ou 1 ou 2 casos de reação de vacinação forte.
A vacina contra o Zika já passa por testes em humanos, a do Ebola já foi comprovada como Encontraremos a cura do câncer?

É diferente, porque o câncer não é uma doença, é um conjunto de doenças. É verdade que as linhas de pesquisa vão para a imunoterapia com vacinas imunológicas que tentam estimular seu sistema imunológico para que, em vez de matar o microorganismo, vá direto a célula cancerosa.

Isto está em plena ebulição, haverá que continuar esperando, mas eu sou otimista. Acho que chegaremos a tratamentos mais específicos, baseados na estimulação do sistema imune contra certos cânceres específicos.

Já existe a vacina que previne o cancro do colo do útero Como funciona e a quem é dirigido?

Evita atacar o vírus do papiloma. O exemplo mais claro são as verrugas. São papilomas que entram nas células da pele e descontrolam. Dar a ordem de que se multiplique o vírus e isso forma uma verruga.

Alguns papilomavirus produzem isso no colo do útero. São tumores que se reproduzem sem controle e provocam o câncer de colo de útero.

A vacina foi feito com algumas proteínas do vírus, que se injectam e se produz uma resposta imune contra esse vírus. Com os anos tem vindo a melhorar, porque existem muitos tipos de papilomas. Esta vacina é administrada principalmente para meninas adolescentes, mas também para crianças, entre 12 e 14 anos.

Vacinas. EFE/GEORGE FREY

As vacinas homeopáticas são confiáveis?

A base da homeopatia é diluir em água de um princípio ativo centenas de milhares de milhões de vezes. Defendem que a água adquire uma memória de moléculas que tem e produz uma série de efeitos. Isso, obviamente, não tem efeitos colaterais, porque ele é simplesmente água, em muitos casos, com um pouco de açúcar.

O problema é que estão vendendo ar e fumaça a preços exorbitantes, às vezes. A gente que diz que dá resultado, lhes, se beneficia como faz o efeito placebo. Em suma, se estão vendendo água com açúcar, e isso não funciona, não é ciência.

(Não Ratings Yet)
Loading…

‘Viver a pulso’, dez referentes literários em um livro contra o câncer infantil

‘Viver a pulso’ é um projeto literário em que dez escritores narram as histórias de dez pessoas que, apesar de as doenças que sofrem, fazem suas experiências em exemplos de superação. Fernando Aramburu, Juan Manuel de Prada, Solidão Puértolas, Lorenzo Silva e Bernardo vendedor de passados -entre outros-, participaram na elaboração deste livro, cujos benefícios revertem para a pesquisa do câncer infantil

'Viver a pulso', dez referentes literários em um livro contra o câncer infantil

Artigos relacionados

Comunicar-se com as emoções

Terça-feira 14.04.2015

A Clínica de Navarra chega a Madrid com um modelo assistencial personalizado

Quinta-feira 16.11.2017

Viver a pulso é um livro em que dez referentes a narrativa espanhola, como Juan Manuel de Prada, Solidão Puértolas, Gustavo Martín Garzo, José Maria Merino, Mercedes Salisachs, Lorenzo Silva, Fernando Aramburu, Marta Rivera da Cruz, Bernardo vendedor de passados e Luis Mateus Díez, contam as histórias de dez pacientes, tornando seus casos médicos em narrativas literárias.

Trata-Se de uma iniciativa da Clínica Universidade de Navarra (CUN), que recentemente abriu sua nova sede em Madrid e da qual procedem todos os pacientes protagonistas do livro, e da Penguin Random House, Editora (Alfaguara), um projeto cuja actividade teve início em 2007, com um relato anual, e que agora se apresenta na forma de uma coleção literária em um único volume.

Tanto a editora, como os autores e a própria Clínica doados a totalidadedos lucros da venda do livro para a investigação do cancro infantil através do programa “Crianças contra o Câncer”, o projeto da UNIVERSIDADE que tem como fim promover a pesquisa e ajudar as famílias no diagnóstico e tratamento da doença.

viver a pulso

“O câncer é uma doença dura e, quando se dá nos jovens, é ainda mais difícil de digerir. De facto, anualmente são diagnosticados cerca de 200.000 novos casos em todo o mundo e continua sendo a primeira causa de morte infantil por doença nos países desenvolvidos”, explica o director-geral da Clínica, José Andrés Gómez Canteiro.

Com esta série de contos, “queremos prestar uma homenagem aos nossos pacientes e ampliar suas sensações ao público”, já que “nesses momentos de vida tão intensos é quando as pessoas dão o melhor de si mesmas”, diz Gomez Canteiro. Este livro é “uma forma de trazer suas emoções e sentimentos ao público em geral e isso, pensamos, deveria ser através da literatura e de grandes escritores”.

Por sua parte, o livro Viver a pulso foi prolongado por Valentín Fuster, cardiologista do Mount Sinai Medical Center, em Nova York.

Viver a pulso, dez histórias de superação e vida

viver a pulso

A coleção “Histórias da Clínica” começou há dez anos com A perna de Peter Parker, de Juan Manuel de Prada, que conta a luta de uma criança e de seus pais contra um osteosarcoma.

Continuou, em 2008, com O clarinetista grato a você, que Solidão Puértolas reflete a história de um transplante de fígado entre vivos.

Para Puértolas, este relato reflete “como em certas histórias familiares e de relações humanas, se configuram todo um conjunto de cumplicidade, afeto…”. Em suma, esta história lhe mostrou uma lição de que “temos alguns aliados que não vemos, doadores invisíveis, e talvez estes sejam a nossa esperança”.

Em 2009, editou – Notícias de Neve de Gustavo Martín Garzo, que aborda a história de Elmo, um paciente que sofria de leucemia e que, anos mais tarde, teve que ser transplantado do coração.

Em 2010, continuou a coleção com A batalha de todos os dias de José Maria Merino, que conta a história real de uma paciente que sofria de obesidade e que deu o passo de se submeter a uma cirurgia bariátrica para melhorar a sua vida.

Um ano depois (2011), o quinto relato intitulado “Canto da vida, escrito por Mercedes Salisachs. A escritora narra a história de Laura, uma paciente que recebeu tratamento na Clínica Universidade de Navarra contra o câncer de mama que sofreu enquanto estava grávida.

O sexto livro, Tudo parece, foi obra de Lorenzo Silva (2012) e explica a história de superação de Ana, uma mulher com surdez progressiva que consiga recuperar a audição, graças a dois implantes cocleares.

Conta Silva, que o processo de recuperação do som de Ana o levou a se dar conta de que “vivemos em um mundo, com tendência para a simplicidade e para a aniquilação da diversidade das percepções que nos traz a realidade”. No entanto, com sua história, descobriu que vivemos em um mundo mais rico de nuances do que pensávamos e o que tudo parece”.

O sétimo relato foi nós Somos Flávio. Escreveu Fernando Aramburu (2013) para aproximar a realidade de um paciente que sofreu um avc isquêmico, que lhe causou uma ‘síndrome do cativeiro”, que o impedia de se comunicar.

O aniversário de Perez Fontan foi uma história de Marta Rivera da Cruz em 2014. Este livro narra a experiência da família Pérez Fontán, em que, mãe e filho tiveram que fazer frente a duas doenças tumorais que conseguiram superar com sucesso.

Em 2015, Bernardo contou o vendedor de passados em NARP, o caso de Felisa Rodríguez, a história de uma paciente com a síndrome degenerativo que lhe provocou a perda do ouvido e da vista, esta última desde os primeiros anos de vida.

“No seu caso, eu visto uma segurança que lhe permite dar muitos passos e sua melhor arma é o desejo de ser dona de si mesma, de cuidar, de não confiar em ninguém, nem em nada”, diz o vendedor de passados.

O décimo e último volume (2016) foi escrito por Luis Mateus Díez e leva o título de O corpo dobrado. Seu protagonista é Manuel, um paciente que enfrenta com força e otimismo uma doença renal crónica e que lhe fez sofrer várias complicações.

“A sua é uma vida inteira em frente ao sofrimento”, e seu “corpo dobrado” representa um dos corpos mais vapuleados que possa existir na história das doenças”, descreve Diez.

(Não Ratings Yet)
Loading…

1.013 quilômetros de rota Lisboa-Santiago para lutar contra o câncer

José Manuel Bernal Herrera e José Benítez Pérez, dois atletas não profissionais, se propuseram o desafio de percorrer um caminho de 1.013 quilômetros que ligará Cabrión dos Gramados (Sevilha) com Santiago de Compostela (Galiza), a fim de angariar fundos para a luta contra o câncer

1.013 quilômetros de rota Lisboa-Santiago para lutar contra o câncerJosé Manuel Bernal Herrera e José Benítez Pérez, dois atletas não profissionais que se propuseram o desafio de percorrer um caminho de 1.013 até Santiago de Compostela para arrecadar fundos contra o câncer. Foto cedida por atletas.Caminho de Santiago, peregrinos da saúde

Segunda-feira 06.10.2014

Quarta-feira 27.08.2014

Quatro corações e um Caminho de Santiago

Terça-feira 18.06.2013

Ambos os atletas começaram a aventura no passado dia 27 de julho, quando saíram de seu povo, Cabrión dos gramados (Sevilha), rumo a Santiago de Compostela (Galiza).

Este caminho de Santiago, por Via da Prata, aunará um total de 1.013 quilômetros, distribuídos em 23 etapas, em que os corredores percorrerão uma média de 45 quilômetros por dia, tanto em bicicleta, como a pé.

“O caminho vai bem. Hoje, 3 de agosto, acabamos de terminar a oitava etapa, chegamos à Barragem de Alcántara (Cáceres) e apesar de alguns problemas, vamos bem”, diz à EFE um dos dois atletas que estão cumprindo o desafio, José Manuel Bernal.

“Acumulamos quilômetros, não descansamos bem em albergues porque a gente dorme lá não te deixa dormir… Mas o que mais contente, tem-nos é o acompanhamento e o apoio das pessoas”, assegurou o quinto dos infernos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer matou cerca de 8,2 milhões de pessoas em 2012, e é por isso que ambos os atletas decidiram que o dinheiro que recolhidas será destinado à Associação Portuguesa de Luta contra o Câncer (aecc) para contribuir para a investigação sobre esta doença.

“O câncer é uma doença que nos afecta a todos, seja directamente ou por familiares, amigos ou vizinhos, que já teve ou conhece algum caso. A gente está se solidarizando e já doaram mais de 7.000 euros”, comenta.

O percurso terminará no dia 18 de agosto, o prazo para doar o dinheiro. “Não temos um objetivo. Não há limite, mas eu acho que com facilidade chegamos aos 8.000 ou 9.000 euros.

No caso de querer contribuir para a doação, as empresas que queiram patrocinar o desafio podem doar um mínimo de 400 euros, enquanto as pessoas físicas interessadas deverão proporcionar um mínimo de 10 euros para a seguinte conta de LaCaixa: ES71 2100 8378 9501 0003 9741.

(Não Ratings Yet)
Loading…

10 coisas que sua mãe tinha razão

Até que não se tenha lavado os dentes não vai jogar com o seu irmão. Você toca alguma coisa? Claro que sim.

10 coisas que sua mãe tinha razão

Artigos relacionados

A gripe de 1918: surgimento e propagação

Segunda-feira 10.09.2018

Prevenção do suicídio, a terceira causa de morte entre os mais jovens

Segunda-feira 10.09.2018

Não há um consumo mínimo de álcool é seguro durante a gravidez para o feto

Segunda-feira 10.09.2018

Este texto está sujeito à licença Creative Commons, o que pode ser reproduzido em outros sites, mas você deve citar-se o autor e inserir um link para esta publicação.

Os hábitos são adquiridos por imitação e da repetição de uma mesma ação durante um período de tempo. E sim, tua mãe, desde bem pequenino, não fazia outra coisa que repetirte que…

1. O lava-te os dentes!

E é que uma boa higiene bucal desde a infância, evita cáries, doenças das gengivas e dores em geral. Por isso, sua mãe insistiu tanto que, desde criança, a escovação de dentes fora de uma rotina do dia a dia ao levantar-se, deitar e depois de cada refeição. Porque, se não se aprende bem desde o início, o logo é mais difícil de corrigir!

2. O lança-te de creme!

Talvez sua mãe não conhecesse que a pele das crianças não conta com uma produção correta de melanina, nem com a capacidade ideal para dissipar o calor através das glândulas sudoríparas, mas sabia que, ao contrário da dos adultos, é uma pele imatura, que por si mesma não se protege adequadamente contra o sol. Graças à sua insistência evitaste uma exposição inadequada ao sol, que, além de ter provocado queimaduras solares e insolação, teria multiplicado o seu risco de desenvolver câncer de pele na idade adulta.

3. Coma devagar!

Queria comer rápido porque sabia que no final se esperavam a televisão ou os jogos. E, no entanto, sua mãe te insistia em que masticaras bem. Por quê? Porque além de evitar o risco de atragantarte, lhe proporcionava vantagens como desenvolver a sua mandíbula, fortalecer suas gengivas ou manter seus dentes saudáveis. E é conseguir que as crianças comam lentamente e que mastiquen muito a cada mordida é a melhor maneira de adquirir o hábito para toda a vida e, assim, evitar as digestões pesadas.

4. Coloca-te frente!

Certeza que você já perdi a conta da quantidade de vezes que sua mãe te disse que corrigieras sua postura… fazia para o seu bem, já que a dor nas costas é um dos desconfortos mais comuns e mais fáceis de evitar: adquirir uma correcta higiene postural desde pequenos (juntamente com a reforçar a musculatura abdominal e dorsolumbar com natação ou ginástica) é uma das melhores formas de evitar as doenças da coluna na idade adulta.

5. Desça a música!

Você terá dito mais de uma vez que você escolher surdo se seguías ouvir música a esse volume. O cético? Atento: cada vez são mais os jovens com problemas de audição decorrentes do mau uso de dispositivos eletrônicos como Ipods, MP3 etc… E é que os altos decibéis podem causar lesões no ouvido interno que, de forma irreversível, podem causar problemas de audição maiores e mais intensos em idades cada vez mais precoces.

6. Não te bater tv!

Embora não produza cegueira como se ameaçava sua mãe, usar telas perto demais de forma prolongada sim faz com que seus olhos se ressequem e, especialmente em crianças, pode gerar estresse visual e até mesmo vista cansada e miopia. O melhor conselho para evitar isso é se acostumar desde a infância para tentar manter a tela, pelo menos 50 cm de distância e, acima de tudo, apagarlas após um máximo de 2 horas.

Então, já sabe, basta caso a sua mãe e o sal para a rua! Você ganha em saúde ocular.

7. O lava-te as mãos!

As mãos são uma das principais vias de entrada de infecções pelo resto do corpo, já que entram em contato com o nariz, os olhos e/ou a boca, e sua mãe sabia. Por isso insistia para que adquirieras desde a infância o hábito de este pequeno gesto que dura cerca de 20 segundos e que é fundamental para prevenir a transmissão de muitas infecções, especialmente depois de ir ao banheiro e antes de tocar na comida.

8. Eu come a fruta!

Pode ser que estivesse errada com o de beber o suco rápido, porque se lhe iam as vitaminas, mas sua mãe sim tinha razão ao insistirte em que se acabaras legumes e a fruta. E é que ambas são fundamentais na dieta por vários motivos: são fonte de fibras e antioxidantes, quase não contêm gordura, ajudam a manter uma correcta hidratação e são uma fonte quase exclusiva de alguns nutrientes, como a vitamina C.

9. A cama!

Ela sabia disso: dormir bem é saúde. Sabia que uma boa qualidade do sono lhe permitiria, entre outras coisas, a maneira correta de manter a sua capacidade de concentração, controlar o seu humor e seus impulsos.

Já sabe: se você dorme pouco ou mal, aumenta o seu risco de contrair algumas doenças e diminui a sua qualidade de vida.

10. ¡Estuda!

Está confirmado: as pessoas mais ativas cerebralmente estão mais protegidas contra o declínio cognitivo, o que se traduz em bem-estar e prevenção de doenças como o alzheimer ou a demência. Assim, a insistência de sua mãe tem recompensa: ter se acostumado a ler diariamente desde pequeno é um dos exercícios intelectuais que mais se proteger do declínio cognitivo.

Tem dúvidas? Plantéalas nos comentários e responderemos com prazer.

A finalidade deste blog é fornecer informações de saúde que, em qualquer caso, substitui a consulta com o seu médico. Este blog está sujeito a moderação, de forma que excluem-se dele os comentários ofensivos, publicitários, ou que não se considerem adequados em relação com o tema que trata cada um dos artigos.
Os textos, artigos e conteúdos deste BLOG estão sujeitos e protegidos por direitos de propriedade intelectual e industrial, dispondo das empresas que formam o Grupo QUIRÓNSALUD (Rede de centros Quirónsalud), as permissões necessárias para a utilização das imagens,fotografias, textos, desenhos, animações e outros conteúdos ou elementos do blog. O acesso e utilização deste site não confere ao internauta qualquer tipo de licença ou direito de uso ou exploração de qualquer um, por isso o uso, reprodução, distribuição, comunicação pública, transformação ou qualquer outra atividade similar ou análoga, está totalmente proibida sem a autorização expressa por escrito do Grupo QUIRÓNSALUD. Para estes efeitos, e no que diz respeito ao texto deste blog, o mesmo está sujeito à licença Creative Commons, o que pode ser reproduzido em outros sites, mas você deve citar-se o autor e inserir um link para esta publicação.
QUIRÓNSALUD se reserva o direito de retirar ou suspender temporária ou definitivamente, a qualquer momento e sem necessidade de aviso prévio, o acesso ao blog e/ou os conteúdos do mesmo para todos os visitantes, internautas ou usuários de internet que não cumpram o estabelecido no presente Aviso, tudo isso sem prejuízo do exercício das acções contra os mesmos que procedam conforme a Lei e o Direito.

(Não Ratings Yet)
Loading…